Conheça as estratégias para reduzir a ociosidade da frota
17 de agosto, 2023 1061
Gestão de Manutenção de Frotas
Artigo Artigo

Conheça as estratégias para reduzir a ociosidade da frota

A ociosidade da frota é um problema relevante que pode afetar negativamente as frotas e operações de transporte. Por isso, é necessário entender o que é, porque acontece e quais as melhores táticas para garantir a eficiência da sua empresa.

Um dos principais desafios dos gestores é a demora para identificar a ociosidade, o que pode agravar a situação. Negligenciar essa questão pode resultar em consequências sérias, como a redução na disponibilidade dos veículos e o aumento dos custos de manutenção.

Para contornar esses problemas, é fundamental investir em uma gestão de manutenção eficiente, utilizando os indicadores adequados para monitorar esse tempo de inatividade dos veículos. Confira mais sobre o assunto a seguir.

O que é ociosidade da frota?

A ociosidade da frota é definida pelo tempo em que os veículos estão parados, sem realizar operações ativas. Eles podem estar estacionados no pátio ou em conserto na oficina. 

Além disso, veículos que realizam rotas sem nenhum tipo de carga, passageiro ou propósito pode ser considerado ocioso.

Quando isso acontece repetidas vezes e com alta frequência, torna-se um problema para a gestão da frota, pois gera gastos desnecessários à empresa.

Como a ociosidade impacta a operação?

  • Maiores custos financeiros

O primeiro e principal problema gerado é o aumento nos custos, podendo ser de combustível, manutenção e até mesmo de depreciação dos veículos. Afinal, veículos parados também estão suscetíveis a falhas e danos.

Inclusive, quando estão parados no estacionamento, podem sofrer maior desgaste dos pneus e da bateria, impactando os valores direcionados à manutenção da frota.

  • Perda de competitividade

Uma operação que acumula muitos prejuízos em decorrência de sua ineficiência e ociosidade, seu resultado é o aumento dos custos de sua frota. 

Como padrão, as empresas acabam repassando esses custos aos seus clientes através do aumento do preço de seus serviços e, por consequência, diminuindo sua competitividade diante da concorrência.

  • Queda na produtividade

Se os veículos estão parados ou rodando sem planejamento prévio, significa que o seu número de operações realizadas é menor do que a quantidade de ativos que possui. Isso pode acontecer por um mal planejamento na aquisição dos veículos ou por uma redução na necessidade.

De qualquer forma, a produtividade da frota de sua empresa estará abaixo da média, visto que os veículos estão parados ou inativos.

  • Maior impacto ambiental

A ociosidade da frota acarreta no maior consumo de combustível, seja pelos veículos estarem abastecidos e parados, ou porque estão rodando sem realizar uma atividade da frota e consumindo esse recurso da operação.

O desgaste do veículo em seu tempo de inatividade também pode levar a questões em sua estrutura que prejudicam o motor e o sistema de queima de combustível. Em ambos casos, acontece uma maior emissão de gases poluentes.

Causas comuns para a ociosidade da frota

Falta de manutenção adequada

Esse é um dos principais fatores que contribui com a ociosidade da frota. Quando um veículo não recebe a revisão com a regularidade necessária, pequenos problemas podem se agravar e gerar consequências mais sérias — levando à paralisação do veículo.

Além disso, a falta de manutenção correta torna o veículo mais suscetível a falhas e quebras na estrada, muitas vezes exigindo serviços emergenciais ou até mesmo resgate por um serviço de guincho.

A falta de prevenção resulta em custos maiores de reparo e um maior tempo de inatividade na sua operação, prejudicando os resultados da sua frota e empresa.

Problema na liberação do veículo

A liberação do veículo ocorre somente quando todas as suas documentações estão em dia e a inspeção não revela defeitos ou falhas que possam comprometer a segurança na estrada

Qualquer problema identificado faz o gestor não liberar o uso do veículo, pois representa riscos significativos ou pode resultar em multas desnecessárias à frota. 

Embora essa abordagem seja plausível e correta, ela pode causar um aumento da ociosidade da frota. Por esse motivo, é fundamental que o gestor entenda como organizar a rotina da frota para evitar que os veículos tenham sua liberação negada.

Falha no planejamento de rotas e operações

Quando a taxa de ociosidade da frota está alta devido a veículos que rodam sem movimentar cargas, entregas ou passageiros, o principal problema geralmente é no planejamento inadequado de rotas e operações.

Rotas mal planejadas resultam em tempos de deslocamento mais longos e menos eficientes, o que contribui para o aumento da ociosidade da frota. Além disso, essas rotas podem até mesmo ser impactadas por mudanças no trânsito, principalmente se o gestor não possui acesso a informações atualizadas sobre cada região.

Ao adotar uma roteirização mais eficiente, além de economizar tempo e recursos, terá a redução da ociosidade dos veículos.

Estratégias para reduzir a ociosidade

Ao identificar as causas específicas da ociosidade da sua frota, você já estará a caminho das soluções necessárias: corrigir essas causas. Por exemplo, se o problema está na manutenção, é fundamental implementar novos processos e ferramentas para garantir que ela ocorra de forma mais adequada.


Caso o desafio principal esteja relacionado à roteirização, busque soluções tecnológicas que auxiliem na identificação de rotas mais eficientes, otimizando tanto os resultados das operações quanto o seu tempo de planejamento.

Importância da gestão de manutenção para combater a ociosidade

Embora a ociosidade da frota possa ter outros motivos, a falta de uma rotina de manutenção é frequentemente a principal causa. Por isso, contar com uma gestão de manutenção eficiente na sua empresa é crucial para enfrentar esse problema.

Através da manutenção preventiva ou preditiva, os problemas são identificados com antecedência ainda em seus estágios iniciais. Isso resulta em um tempo menor de correção e, consequentemente, reduz a inatividade do veículo.

Além de combater a ociosidade da frota, uma boa gestão de manutenção traz diversos outros benefícios que todos os gestores de frota buscam, como a maior durabilidade do veículo e redução de custos operacionais.

Indicadores para medir a ociosidade da frota

Taxa de utilização dos veículos

Esse indicador da frota calcula a proporção do tempo em que os veículos estão em uso em relação ao total de tempo disponível. 

Ele permite avaliar o grau de utilização de cada veículo da frota, fornecendo insights sobre a frequência necessária de manutenção para cada um. 

Quanto mais um veículo é utilizado, maior deve ser a atenção dada às suas inspeções e manutenções para garantir um desempenho contínuo e evitar falhas inesperadas.

Percentual de veículos ociosos 

Com esse indicador, você terá a proporção de veículos parados em relação ao total da frota, representando o oposto da taxa de utilização. 

O percentual de veículos ociosos permite avaliar se os veículos estão inativos devido a problemas que não foram resolvidos ou simplesmente por não serem necessários para as operações da empresa.

Com essa informação, é possível identificar oportunidades para reduzir a ociosidade da frota, seja por meio de manutenções mais eficientes ou ajustes no planejamento operacional.

Tempo de inatividade por motivo

Após identificar quais veículos estão causando uma frota ociosa, o indicador de tempo de inatividade por motivo é utilizado para entender as causas específicas da inatividade. Essa informação é crucial para você identificar as soluções mais efetivas para melhorar a utilização dos veículos.

Ao utilizar esses indicadores de forma estratégica, você passa a tomar decisões mais embasadas, garantindo uma operação mais eficiente e rentável. 

Para começar e otimizar uma rotina onde você coleta os dados e ter um acompanhamento correto desses indicadores, faça o download grátis do nosso Plano de Implementação da Gestão de Manutenção para Frotas.