Controle de motoristas na frota: é mesmo necessário?
4 de maio, 2022 2454
Gestão de Frotas
Artigo Artigo

Controle de motoristas na frota: é mesmo necessário?

A reputação do setor de transporte da sua empresa depende de diversos fatores, como um bom atendimento no processo de contratação de serviços, uma boa apresentação de conservação dos veículos e o relacionamento dos motoristas com todos os pontos de contato.

Mais que isso, também está em jogo a produtividade e eficiência de suas entregas, assim como a durabilidade de veículos da frota. Com essa combinação de fatores, ter um controle de motoristas é essencial. 

A tarefa pode não ser tão simples, mas é possível alcançá-la com uma seleção de critérios de avaliação objetivos. Desde os mais simples, como pontualidade e disciplina, até os mais detalhados, como análise do número de acidentes por mês ou quilômetros percorridos.

Antes, em mais detalhes, vamos entender:

O que é o controle de motoristas?

O controle do motorista se refere ao processo de gerenciamento e regulamentação dos motoristas dentro de uma empresa. Isso inclui definir padrões para o comportamento, monitorar o desempenho e tomar medidas corretivas quando necessário.

O gestor de frota precisa definir quais são as ações a serem acompanhadas, assim como o método utilizado para tal.

Se decidir que precisa analisar o desempenho de viagem por motorista, precisa de algum tipo de sistema de monitoramento ou de telemetria para entender o comportamento em estrada — é possível coletar dados como acelerações excessivas, frenagens repentinas, velocidade média, tempo de ociosidade, etc.

Vale lembrar que o gestor também é o responsável por planejar todas as operações, desde a quantidade de carga carregada no veículo e horário de saída até a rota percorrida e pontos estratégicos de parada. Identificando, inclusive, o tempo médio em que a viagem precisa ser realizada.

Assim, também consegue ter o ponto de partida para entender quais motoristas estão agindo em conformidade com os planos e buscar os motivos para aqueles que não estão.

Por que é importante realizar o controle de motoristas?

Existem várias razões pelas quais a realização do controle do motorista é importante. Em qualquer organização, a gestão de pessoas já é uma prática comum, a fim de evitar o estresse, cansaço excessivo e falta de motivação de seus funcionários.

E, os motoristas, como pessoas, é claro, fazem parte desta gestão.

Há inúmeros benefícios para a frota ao realizar esse controle. Porém, também é bom para os próprios condutores, que cumprem seus horários de trabalho e descanso com mais tranquilidade e ainda podem receber bonificações através dos rankings de pontuação por boas práticas.

Quando falamos de benefícios para a operação de transporte:

Conectando os pontos que trouxemos no começo do texto, é uma gestão que protege a reputação da sua organização, garantindo que seus motoristas estejam se comportando de forma responsável.

Também ajuda a prevenir acidentes, garantindo que os motoristas estejam seguindo as melhores práticas e obedecendo às leis de trânsito. 

Igualmente, melhora a eficiência das operações, reduzindo o consumo de combustível e minimizando o desgaste dos veículos através das inspeções de manutenção preventiva. Algo que todos os motoristas precisam fazer, diariamente e antes de longas viagens, é o checklist de inspeção.

Ou seja, é algo que o gestor precisa incluir em seu controle, verificando se o checklist foi realizado nos momentos pré-determinados ou se o veículo está sem manutenção, podendo gerar riscos às operações de transporte.

O gerente deve garantir que os motoristas consigam cumprir as políticas e procedimentos da empresa, bem como com a legislação em vigor. Além disso, deve promover treinamento para motoristas em tópicos como direção defensiva, manutenção adequada do veículo, segurança de carga e resposta a emergências.

Ao realizar essas ações, a empresa de transportes ganha segurança e previsibilidade sobre as atividades rotineiras de cada condutor.

Com certeza você sabe que a rotatividade desta função é grande para a maioria das transportadoras, então, que tal aumentar o engajamento e retenção com o controle de motoristas? Com uma gestão eficiente, você consegue!

Para saber se o seu controle é realmente bom, avalie se ele:

 

  • Estabelece metas realistas para entregas;
  • Considera as condições de direção e o trânsito;
  • Permite pausas e períodos de descanso;
  • Comunica as alterações ao motorista em tempo útil;
  • Monitora o progresso e dá feedback.

 

Agora, entenda:

Como fazer uma boa gestão de motoristas?

Fichas e planilhas são sempre bem-vindas, principalmente para frotas menores, que não possuem ainda tantos veículos e motoristas. Porém, atualmente, já se popularizaram os sistemas tecnológicos para logística. Há soluções para gestão administrativa de frotas, gestão de manutenção, de pneus, de abastecimento, entre muitas outras.

Claro, também temos programas que ajudam a manter o controle de motoristas, como os aplicativos de manutenção e de monitoramento de viagens. Assim, tornando esse processo mais eficiente e prático.

Outros conhecimentos importantes ao realizar o controle do motorista:

 

  • Comunicação regular: essencial para garantir que todos estejam na mesma página;
  • Diretrizes e expectativas claras: devem ser definidas para que os motoristas saibam o que se espera deles;
  • Monitoramento: acompanhar o desempenho dos motoristas na estrada;
  • Treinamento e apoio: devem ser fornecidos para garantir que os motoristas tenham as habilidades e conhecimentos necessários para realizar seu trabalho;
  • Recompensas e incentivos: podem ser usados para incentivar um bom desempenho e motivar os colaboradores;
  • Disciplina corretiva: não necessariamente será usada no dia a dia da frota, mas é preciso instruí-la como prevenção e sempre que surgirem problemas, assim todos sabem as punições caso infrinjam alguma delegação.

 

Quando falamos em controle de motoristas, também é preciso falar em:

Controle de jornada

O controle de jornada dos motoristas profissionais é algo fundamental. Uma empresa que não registra os horários de trabalho e descanso dos caminhoneiros pode levar multas e processos.

Por exemplo, segundo a lei nº 13.103, modificada e atualizada em 2015, os motoristas de cargas podem dirigir por até 6h, com 30 minutos de descanso. Em adição, é obrigatório que tenham descanso de, no mínimo, 8h consecutivas durante a noite.

Outra questão relativa ao controle de horários, é o descanso de almoço, que deve ser de 1h diária.

No mais, a lei dita algumas regras tanto para o gestor sob o motorista, quanto sobre as responsabilidades dos motoristas. Você — e seu quadro de motoristas — precisam conhecê-la na íntegra.

Além disso, você pode aprender a montar uma política de frotas para implementar rotinas mais saudáveis para os motoristas e mais produtivas para a sua frota. 

Confira nosso material gratuito com um modelo pronto para você adaptar e utilizar — acesse ele clicando aqui.